Airbus sofre violação de dados e alguns funcionários são expostos

A fabricante européia de aeronaves Airbus admitiu na terça-feira uma violação de dados de seus sistemas de informação “Commercial Aircraft business”, que permitiram aos intrusos obter acesso a informações pessoais de seus funcionários.

Embora a empresa não tenha elaborado a natureza do hack, alegou que a violação de segurança não afetou suas operações comerciais. Portanto, não há impacto na produção de aeronaves.

A Airbus confirmou que os atacantes não autorizados acessaram alguns dados no início deste mês, que o fabricante alegou ser “um contato principalmente profissional e detalhes de identificação de TI de alguns funcionários da Airbus na Europa”.

“Investigações estão em andamento para entender se algum dado específico foi direcionado; no entanto, sabemos que alguns dados pessoais foram acessados” publicado na quarta-feira.

Após detectar a violação de segurança, o fabricante do plano iniciou uma investigação para determinar a origem do hack e para entender o escopo total da violação de dados e se algum dado específico foi segmentado.

A empresa começou a tomar “medidas imediatas e apropriadas para reforçar os sistemas de segurança existentes”, que não foram suficientes para manter os hackers fora de seus sistemas “e para mitigar seu impacto potencial” para evitar que incidentes semelhantes aconteçam no futuro. .

A empresa também instruiu seus funcionários a “tomar todas as precauções necessárias no futuro” para fortalecer suas defesas de segurança.

A Airbus também informou que está em contato com as autoridades regulatórias e com as autoridades de proteção de dados, de acordo com as novas regras do GDPR (Regulamento Geral de Proteção de Dados).

A Airbus é a segunda maior fabricante mundial de aviões comerciais, depois da Boeing, que também foi atingida por um ataque cibernético (uma variante do infame WannaCry ransomware) em março do ano passado que “afetou um pequeno número de sistemas” sem impacto na produção.