Bulgária extradita hacker russo, acusado de prejudicar milhões de dólares vendendo propaganda enganosa

A Bulgária extraditou para os Estados Unidos um hacker russo acusado por um tribunal norte-americano de extensa e complexa fraude eletrônica, anunciou sábado a embaixada russa em Washington.

Segundo a embaixada, Aleksandr Jukov foi extraditado na sexta-feira e é detido em uma prisão do Brooklyn em Nova York.

“Os funcionários do Consulado Geral (Russo) de Nova York logo o visitarão na prisão”, disse a embaixada.

Zhukov é uma das oito pessoas, a maioria dos cidadãos russos, indiciados em novembro de 2018 nos Estados Unidos depois de criarem anúncios falsos on-line complexos que causaram prejuízos de dezenas de milhões de dólares a várias empresas.

Um russo-ucraniano, cinco russos e dois cazaques são processados ​​por fraude eletrônica, intrusão de computadores, roubo de identidade em forma agravada e lavagem de dinheiro.

Três deles foram presos no exterior, mas os outros ainda estão foragidos.

Zhukov, natural de São Petersburgo, foi preso na Bulgária em novembro, onde viveu em 2010.

De acordo com as autoridades, um dos dispositivos hacker – instalado entre 2014 e 2016 – custou 7 milhões de dólares a empresas que compraram anúncios de publicidade on-line que nunca foram vistos na rede.

De acordo com a acusação, os hackers agendaram servidores para simular a atividade humana na Internet, navegando na web com um navegador falso.

Outro dispositivo, usado entre 2015 e 2018, poderia falsificar bilhões de anúncios. De acordo com a justiça americana, esse estratagema fez com que as empresas pagassem mais de US $ 29 milhões por publicidade nunca vista na realidade.

Fonte G4media